Prometi um relato pormenorizado sobre a Festa do Jubileu da nossa paróquia, estou hoje pagando a promessa. Não foi por preguiça, não, mas passei a semana editando os vídeos gravados nos quatro dias de festejos para poder terminar logo um DVD que registrasse esse momento histórico. Se alguém quiser uma cópia do DVD pode me pedir por email ou pessoalmente.

A festa do Jubileu de Ouro da Paróquia Bom Jesus mobilizou toda sociedade católica de Alfredo Wagner. Uns preparando a liturgia para as missas comemorativas, outros preparando a recepção para os eclesiásticos que viriam celebrar nesta festa, outros organizando os comes e bebes e outros pesquisando nos livros e arquivos os fatos e fotos marcantes que serviriam para homenagear aqueles que há cinquenta anos receberam o decreto episcopal de criação da paróquia.
“Dom Joaquim Domingues de Oliveira, por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica, Arcebispo Metropolitano, prelado doméstico e assistente ao Sólio Pontifício, aos que este nosso decreto vierem, saudações, paz e benção em Jesus Cristo.
Fazemos saber que atendendo às necessidades espirituais dos fiéis do Barracão, nesta nossa Arquidiocese, tendo ouvido o parecer do nosso Exmo Arcebispo Coadjutor, do Rvmo. Pároco de Ituporanga e de mais pessoas interessadas, em virtude da nossa jurisdição, havemos por bem erigir, criar, e constituir e como de fato pelo presente nosso decreto, erigimos, criamos e constituímos a Paróquia do Bom Jesus do Barracão. (…)
Dado e passado em Florianópolis, sob nosso sinal e selo das nossas armas aos 17 de janeiro de 1959, Dom Joaquim Arcebispo Metropolitano.”

Eis acima o decreto que instituiu a nossa paróquia. Ele foi fruto de muito trabalho nos bastidores pois três capelas desejavam receber o privilégio: Catuíra, Rio Engano e Barracão.
Os festejos começaram timidos e foram aos poucos ocupando a atenção dos católicos. Muitos deixaram de ir no primeiro dia dos festejos, na Missa da Família, onde o Pe. Evaristo Borget nos mostrou o exemplo de Maria como modelo de mãe e sustentáculo da família cristã.
No segundo dia o público era maior e a celebração pelo Pe. Amarildo Bambinett teve como tema Missa dos Enfermos. Em sua reflexão o Pe. Amarildo nos lembrou um verdade esquecida: costumamos rezar por nossa saúde quando estamos doentes e não deveria ser apenas assim; também devemos rezar quando estamos bem de saúde para mantermos este dom de Deus.
No sabado, terceiro dia da nossa festa, o Pe. Marino Loffi tomou posse da paróquia numa cerimônia simples, mas cheia de ensinamento. Ele recebeu cada símbolo de suas funções com devoção e amor, demonstrando que será para nós um verdadeiro pastor a exemplo de nosso padroeiro o Senhor Bom Jesus.
No domingo, acordamos cedo pois teria início às nove e meia a caminhada dos fiéis das várias capelas com seus padroeiros. Caminhada que sairia da Ponte do Caeté indo em direção à Matriz. Caminhada abençoada realizada num lindo dia que começava ensolarado. Canticos, reflexões, mensagens fizeram eco aos passos dos caminhantes.
Enfim, já na igreja matriz, Missa celebrada por Dom Agostinho Petry com homenagens e lembranças aos primeiros alfredenses (ou seus representantes) responsáveis pela criação esta paróquia.

Posted in Sem categoria

Deixe um comentário sobre a notícia!