Alunos: Sásquia Marian, Wilhan Eduardo de Souza.

A morte e a vida

downloadQuando nascemos sabemos de uma só certeza absoluta, a de que um dia vamos morrer, claro que não há como prever o tempo de vida que vamos ter, mas temos que tentar aproveitar bem a vida enquanto há tempo, já que não temos como saber se o amanhã irá chegar para nós.
A morte e a vida são bem questionadas em nosso cotidiano, como para que viver se um dia vamos morrer? Para que adquirir bens materiais se quando morrermos não iremos levá-los? Será que adianta viver com tanta garra? Será que a morte é boa ou será ruim? Bem essas perguntas não têm como responder, até porque quando obtivermos alguma resposta não irá mais adiantar nada.
A vida é algo tão complexa, e tão complicada às vezes, tudo se transforma tão rápido, e às vezes pensamos tanto no futuro que nos esquecemos de viver o presente. Mas, contudo devemos é aproveitar muito a vida que temos, crescer, aprender, festejar, chorar, amar, e acima de tudo ser feliz, porque senão aproveitarmos a nossa própria vida quem irá fazer isso pela gente? Quando morremos não levamos nada, mas deixamos muita coisa, tanto sentimentais quanto materiais; deixamos o nosso exemplo para aqueles que conviveram conosco, e é claro que devemos tentar deixar a melhor imagem possível para que possamos ser bem lembrados e bem amados por todos mesmo depois de nossa partida à um outro mundo, ao desconhecido.
A morte causa medo em muitas pessoas porque ninguém gosta de ver uma pessoa muito querida deixar para sempre a sua família, nem seus conhecidos, é tão ruim ter de chegar a um momento ao qual você sabe que nunca mais verá aquela pessoa depois que ela morrer. Existe apenas um meio de se chegar à vida, mas existem muitos que podem de tirar dela, como: as doenças, os acidentes de vários meios, assassinatos, a morte natural, entre outros… Mas de qualquer maneira não se deve desejar a morte de ninguém, por mais que seja ruim o convívio com alguma pessoa, nunca deseje a morte dela nem a sua, porque há tantas pessoas lutando por apenas mais um minuto de vida, mais um minuto com sua família.
Então se repensarmos, a vida e a morte se fazem necessárias para que descubramos o que há de tão imediato em nossa existência. Não se pode, e não se deve impedir a vida, nem a morte, mas sim encarar o que cada uma é e aceitar o ciclo natural da vida.

Alfredo Wagner: nove de agosto de dois mil e doze Terceiro Ano 01 Silva Jardim

Posted in Sem categoria