JAIREu era criança, só nove anos de idade, e me arrepiava ouvir na televisão a música Disparada, cantada por Jair Rodrigues. O melhor intérprete para esta música, na minha opinião. A letra transmitia conceitos simples, verdadeiros e o Jair dava uma interpretação única à melodia. “Deixa que digam, que pensem e que falem”… outra canção que tinha em sua interpretação uma nota única.

Jair Rodrigues representava bem o brasileiro tipíco: alegre, faceiro, bem disposto.

Eu me identificava com a alegria espontânea e livre de Jair Rodrigues.

Nesta pequena homenagem desejo que Deus o tenha em sua glória.

Seu corpo está sendo velado na Assembléia Legislativa de São Paulo numa justa homenagem a este grande homem.

Posted in Sem categoria