Federação alemã decidiu construir alojamento só para a Copa do Mundo, diz jornal. Cartola evita criticar hospedagem local e valoriza privacidade do time
Campobahia
“Estou certo de que todos os atletas vão se sentir em casa. O alojamento vai oferecer
tudo o que nosso grupo pode querer”, disse o ex-jogador Bierhoff

A Federação Alemã de Futebol (DFB, na sigla original) decidiu construir um alojamento próprio para abrigar jogadores e comissão técnica durante a Copa do Mundo de 2014. A informação foi divulgada na edição desta sexta-feira do jornal alemão Bild. De acordo com o diário, o mais vendido do país, os responsáveis pelos preparativos da seleção alemã não estavam satisfeitos com nenhum dos hotéis próximos às sedes onde a equipe terá de jogar (na primeira fase, os tricampeões mundiais passam por Salvador, Fortaleza e Recife). Por isso, optaram por um projeto alternativo, a construção de um complexo com catorze casas destinadas aos atletas e comissão técnica. No total, haverá 60 quartos. A base alemã no Mundial de 2014 ficará no pequeno município de Santo André, a cerca de 40 quilômetros de Porto Seguro.
A um quilômetro das casas haverá um campo de treinamento, o centro de imprensa da DFB e outras instalações. Para chegar ao local onde o alojamento deverá ser construído é preciso atravessar o Rio João de Tiba em uma balsa. O projeto, segundo o Bild, será financiado em parte por patrocinadores da federação alemã. Depois da publicação da reportagem, a federação confirmou o projeto e revelou que as obras deverão ser concluídas até abril. O ex-atacante Oliver Bierhoff, hoje diretor da seleção, evitou fazer qualquer crítica à rede hoteleira do país-sede da Copa e atribuiu a decisão de colocar o time numa base própria à necessidade de cultivar um clima de privacidade e harmonia no grupo. “Será importante minimizar os efeitos dos deslocamentos entre os jogos. Aclimatação e recuperação serão fatores essenciais, e nossa concentração será ideal para atender a esses aspectos.”
O primeiro jogo da Alemanha na Copa será na própria Bahia – mas em Salvador, a cerca de 400 quilômetros da base alemã, o que provavelmente fará com que a delegação vá para o jogo num avião fretado. Recife está a 1.050 quilômetros, e Fortaleza, a 1.400 quilômetros. A distância em relação ao Rio de Janeiro, onde será disputada a final da competição, é de 850 quilômetros. Os voos dos alemães deverão partir do aeroporto de Porto Seguro, que fica a cerca de 45 minutos da concentração que foi chamada de “Campo Bahia”. Entre os outros órgãos de imprensa alemães, a versão do Bild sobre a insatisfação dos cartolas com os hotéis despertou desconfiança – até por causa da fonte da informação, já que não é incomum o Bild apostar na controvérsia para vender mais exemplares. Com numerosas opções na Bahia, os alemães teriam decidido por uma base própria porque gostariam de ter o melhor tipo de preparação possível – e o isolamento da imprensa e dos curiosos seria fundamental para isso.
“Estou certo de que todos os atletas vão se sentir em casa. O alojamento vai oferecer tudo o que nosso grupo pode querer numa estadia que espero ser longa”, disse Bierhoff, que não esconde que a Alemanha não pensa em ir para casa antes da final – nos dois últimos Mundiais, foi eliminada nas semis. “Vamos treinar, nos recuperar e manter o foco nos jogos. O fato de o local ser compacto também é muito importante para nós”, explicou o ex-jogador, lembrando que muitas equipes costumam perder muito tempo nos deslocamentos de ônibus entre os hotéis e campos de treinamento oferecidos aos participantes da Copa. “Os jogadores terão oportunidades de sobra para aproveitar momentos de reflexão, mas também haverá uma área central onde poderemos conviver e cultivar nosso espírito de equipe. Tenho certeza: tudo isso terá um efeito positivo sobre o grupo durante a concentração.” A chegada do time ao “Campo Bahia” está marcada para o dia 8 de junho, oito dias antes da estreia dos tricampeões mundiais na Copa.
Posted in Sem categoria