Arqueologia em Alfredo Wagner
Prof. Dr. Lucas Bueno
Lucas Bond Reis
Thiago Umberto Pereira

Desde meados de junho, nós, integrantes do Laboratório de Estudos Interdisciplinares em Arqueologia (LEIA), vinculado ao Departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), estamos realizando pesquisas arqueológicas no município de Alfredo Wagner. Nosso objetivo é produzir conhecimento sobre o passado da área onde está instalada o município e, deste modo, dar continuidade as atividades desenvolvidas por outros pesquisadores nos últimos 50 anos.
De antemão, destacamos o importante trabalho desenvolvido pelo Sr. Altair Wagner, idealizador do Museu de Arqueologia de Lomba Alta, que vem reunindo informações preciosas sobre os diferentes povos que ocuparam no passado a área que atualmente compreende o município, bem como atuando em prol da preservação do patrimônio arqueológico. De suma importância também é o trabalho realizado pela Sra. Maria Rufina, funcionária do museu, que vem contribuindo através da divulgação do conhecimento por meio do acompanhamento dos interessados em prestigiar a exposição.
Na década de 1960, o arqueólogo Pe. João Alfredo Rohr realizou as primeiras escavações arqueológicas em Alfredo Wagner. Em um sítio arqueológico localizado próximo a área central do município, na época propriedade do Sr. Balcino Wagner, Rohr encontrou artefatos produzidos em rochas (através do lascamento e/ou do polimento) e em madeira, além de fibras vegetais – estas que se preservaram de forma excepcional devido ao ambiente úmido. O acervo reunido nesta pesquisa está exposto no Museu do Homem do Sambaqui, localizado no Colégio Catarinense, em Florianópolis.
Nos anos seguintes, apesar da realização de pesquisas arqueológicas em municípios próximos, nenhum estudo foi desenvolvido especificamente em Alfredo Wagner. Somente a partir da década de 1990, com os trabalhos realizados pelo Sr. Altair Wagner, é que se tem uma ampliação do conhecimento acerca do patrimônio arqueológico local. Em um trabalho dispendioso, Sr. Altair reuniu dados sobre a existência de 160 possíveis sítios arqueológicos, os quais foram publicados no livro Alfredo Wagner: Terra, Água e Índios.
A partir das informações publicadas pelo Sr. Altair, estamos visitando alguns destes locais visando verificar a existência de vestígios arqueológicos, efetuar registros fotográficos e coletar dados referentes à localização. Assim, nesta primeira etapa fomos a sítios arqueológicos situados nas imediações da sede do município e nas localidades de Lomba Alta, Poço Certo, Pedra Branca, Riozinho e Caeté.
Nos próximos meses, continuaremos com o reconhecimento de sítios arqueológicos pelo município, sendo que pretendemos realizar escavações em alguns deles. Para tanto, contamos com o apoio da comunidade alfredense.
Pela receptividade e colaboração, deixamos nossos agradecimentos para as famílias Althoff, Mariani e Steffen; Sr. Lauro Cunha; Sra. Maria da Conceição Andrade; Sr. Antônio Anildo Couto (“Pernambuco”); Sr. Balcino Wagner; Sra. Eunice Wagner; Sra. Jaqueline; entre tantos outros. Em especial, agradecemos ao Sr. Altair Wagner pelas informações prestadas, indicações, contatos, enfim, pelo apoio irrestrito, e, de forma semelhante, a Sra. Maria Rufina. Por fim, mas não menos importante, ao Sr. Valmir Wagner (“Vami”), por nos acompanhar em campo.
Para saber mais sobre as atividades desenvolvidas pelo LEIA, acesse www.leia.ufsc.br. Para colaborar com a pesquisa ou sanar dúvidas, entre em contato através do telefone (48) 3721-4134 ou pelo email leiarqueologia@gmail.com. Os dados obtidos por meio desta pesquisa serão publicados no Jornal Capital das Nascentes, veículo de comunicação que gentilmente cedeu espaço para divulgação.

Figura 1 - Equipe do LEIA/UFSC vistoriando sítio arqueológico composto por estruturas ou "casas" subterrâneas na localidade de Pedra Branca, em propriedade do Sr. Antônio Anildo Couto ("Pernambuco").
Figura 1 – Equipe do LEIA/UFSC vistoriando sítio arqueológico composto por estruturas ou “casas” subterrâneas na localidade de Pedra Branca, em propriedade do Sr. Antônio Anildo Couto (“Pernambuco”).
Figura 2 – Integrante do LEIA/UFSC vistoriando a “Gruta do Riozinho”.
Figura 2 – Integrante do LEIA/UFSC vistoriando a “Gruta do Riozinho”.
Figura 3 – Integrante do LEIA/UFSC efetuando reconhecimento de estruturas ou "casas" subterrâneas localizadas na propriedade do Sr. Balcino Wagner, próximo à área central de Alfredo Wagner.
Figura 3 – Integrante do LEIA/UFSC efetuando reconhecimento de estruturas ou “casas” subterrâneas localizadas na propriedade do Sr. Balcino Wagner, próximo à área central de Alfredo Wagner.
Posted in Sem categoria