Após Lula se comparar a cobra, bispo fala em ‘pisar a cabeça’ da jararaca

DANIELA LIMA
DE BRASÍLIA

Dois dias após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se comparar a uma jararaca para dizer que sobreviveu à ofensiva da Operação Lava Jato desencadeada sobre ele na última sexta-feira (4), o bispo-auxiliar da Arquidiocese de Aparecida, dom Darci José Nicioli, dedicou parte da missa do último domingo (6) na basílica a pregar “a graça de pisar a cabeça da serpente”.
Dom Darci foi mais explícito no trecho final de uma oração. “Peça, meu irmão e minha irmã, a graça de pisar a cabeça da serpente. De todas as víboras que existem e persistem em nossas vidas”, pregou. “Daqueles que se autodenominam jararacas. Pisar a cabeça da serpente. Vencer o mal pelo bem, por Cristo nosso Senhor”, concluiu.
Em discurso a militantes e à imprensa após ter sido levado pela Polícia Federal para prestar depoimento sobre suspeitas de ocultação de patrimônio e ligação com o escândalo do petrolão, Lula disse que “se tentaram matar a jararaca, não bateram na cabeça, bateram no rabo. A jararaca tá viva, como sempre esteve”.
O trecho da missa em que bispo-auxiliar de Aparecida fez uma referência a Lula viralizou nas redes sociais. Procurado pela Folha, dom Darci disse, por meio de sua assessoria, que a fala ocorreu em meio a uma reflexão sobre a “misericórdia de Deus, que não é paternalista, mas que pede de nós uma atitude: anular o mal”.
A vitória do “bem” sobre o “mal” também foi tema da homilia de dom Darci. “Maria pisou a cabeça da serpente. O mal não a tocou. Decididos, meu irmão e minha irmã, expurguemos o mal da nossa vida e da sociedade”, disse o bispo.
“É hora de voltar à casa do Pai. Pisar a cabeça da serpente. De todas as serpentes. Anular a força do mal e vencer o mal pelo bem. Coragem”, pediu.
Na nota à reportagem, o bispo disse que indicou Maria como exemplo “pois ela pisou a cabeça da serpente”. “[Pedi para] Livrar-nos das víboras, das jararacas, que são a personificação do mal. A interpretação e as aplicações práticas ficam a cargo de cada fiel ouvinte”, concluiu.