10. Os petistas subitamente descobrirão que existe uma crise econômica no País, eparece até que é grave. O escabroso meme “Apesar da Crise” será enterrado. Em seu lugar, petistas postarão noite e dia sobre a alta dos preços, as lojas fechadas, e seu mais novo companheiro: o desemprego.

9. Michel Temer e seu ministro da Saúde serão identificados com a dengue, a zika e o ‘Aedes aegypti’, e um apelido com algum desses termos logo vai emplacar (infelizmente para os petistas não foi ainda o tempo do Aedes Neves).

8. Humoristas que estavam até agora hibernando vão subitamente descobrir uma nova, inexplorada e revolucionária fonte de piadas: o governo. Subitamente o humor político ganhará com força a televisão. O presidente e seus ministros serão caricaturados, e termos hoje considerados chulos, ofensivos, etc. serão desferidos com muita fartura.

7. O meme “bela, recatada e do lar” será usado em toda a sua literalidade com Marcela Temer; cada passo da primeira-dama será explorado para fazer dela uma nova Cláudia Cruz.

6. Ao contrário do que aconteceu com a gloriosa Copa do Mundo, a principal empolgação por parte dos petistas com as Olimpíadas estará em criticar as obras caríssimas e a falta de legado e repetir toda aquela ladainha que vimos em 2013. Algum blogueiro “progressista” criticará o “uso político do evento” por parte de Temer. Pelo menos um presidente de país vizinho boicotará a cerimônia de abertura com grande alarde.

5. Subitamente veremos muitas reportagens que mostram que nossas universidades públicas estão quase desabando, que na verdade não são tão boas assim, e que – quem diria – estão repletas de analfabetos funcionais. Veremos vigorosas denúncias sobre as relações entre governo e empresas privadas no âmbito do ProUni. A UNE vai reverberar uma campanha de anistia das dívidas dos estudantes matriculados no Fies.

4. O tema da redação do Enem será criticado por todos os “influenciadores digitais” que tanto elogiaram a prova de 2015.

3. Petistas que não fazem a menor ideia de quem é Gim Argello, não sabem dizer o nome de um procurador de Curitiba e nem por um cargo comissionado poderiam citar três fases da Lava Jato virarão ‘ombudsmen’ da operação da noite para o dia, relacionando trechos de documentos, copiando parágrafos de inquéritos e vasculhando sites de advogados para compartilhar os inúmeros “erros processuais”.

2. Por uma incrível força da natureza, os petebas de sempre vão passar a submeter cada ministro a uma extensa avaliação curricular, questionando seus méritos, desempenhos, conquistas, realizações e histórico escolar nos mínimos detalhes.

1. De queixo empinado, taça de vinho na mão e ao lado de uns tantos xeroxes grifados de Habermas, os acadêmicos de sempre vão nos lecionar que a solução, afinal de contas, passa pela reforma política.

Deixe um comentário sobre a notícia!