Soldado da Infantaria Brasileira de Linha de Frente do século XIX desenho pelo desenhista e correspondente de guerra Melton Prior (1845-1910). Colorido digitalmente por Mauro Demarchi

Disse há algum tempo que estou buscando informações em jornais antigos sobre o nosso santo Soldadinho. Revirando jornais antigos tenho encontrado dados muito interessantes.

Minha tese é que o Soldadinho não era um desconhecido, mas querido e amado pelo povo da antiga Colônia Militar Santa Thereza.
Naquela época conturbada de revoluções e ataques de índios eram comuns as mortes. Um soldado desconhecido que teria morrido de frio, fugindo de uma revolução, não teria impressionado a população como o Soldadinho impressionou aquela gente a ponto de viram ponto de peregrinação, pedidos e ação de graças. Um desconhecido seria mais um nas estatísticas da época.
As pesquisas nos revelou um nome. Um soldado da companhia dos Inválidos que mudou-se para a Colônia Militar Santa Thereza, prestativo, amigo de todos, disposto e “sui generis” como o descreve o Comandante da Colônia. Será ele, o nosso Soldadinho? Muita pesquisa ainda precisa ser feita, e com a ajuda do Alzemir Machado e seu irmão, ambos trabalhando na Biblioteca Pública de Florianópolis, tenho certeza que chegaremos ao perfil daquele que poderá ser o Santo Alfredense.

Deixe um comentário sobre a notícia!