Um projeto específico para o Instagram, onde o Jornal Capital das Nascente tem uma conta para divulgar o município, despertou interesse em muitos jovens. Trata-se da publicação de uma fotografia de pessoa natural do município e sua ascendência, chegando até onde cada um puder.

O interesse despertado se deve a revelação de tantos sobrenomes ocultos entrarem na composição de uma pessoa. Sim. Temos apenas dois pais, mas no entanto, são 4 avós, 8 bisavós, 16 tataravós… e assim vai. O sobrenome paterno é o que mais vai aparecer e se repetir, mas não é o único na composição do sangue de um descendente.

É fascinante a elaboração de uma árvore genealógica. Não é simples, como parece a primeira vista, apesar que nos dias atuais termos ferramentas online de excelente qualidade para facilitar as pesquisas. Falarei destas ferramentas mais adiante.

Como você deve fazer, para iniciar sua árvore? Leia o artigo http://genealogia-italiana.blogspot.com.br/2009/10/como-montar-sua-arvore-genealogica.html Lea Baraldo faz um excelente roteiro que deve ser seguido com atenção.

Resumindo:

  1. Comece por você. Num papel escreva todos os seus dados extraídos da sua certidão de nascimento. Nela aparece os nomes de seus pais e de seus avós. Se você já é casado acrescente o nome de sua esposa, data do casamento, nome dos filhos, data de nascimento etc.
  2. Em folhas separadas anote os nomes de seus pais, data de nascimento e de casamento deles (se forem falecidos, data de falecimento), nomes dos avós.
  3. Agora é a vês de pesquisar os avós. Será preciso uma pesquisa em cartórios para descobrir data de nascimentos, casamentos, falecimento. Toda informação que conseguir anote em folha específica para cada um.
  4. De posse destes dados inicie uma árvore genealógica online em algum serviço. Sugiro o My Heritage Um dos sites mais completos de pesquisa genealógica. Algumas famílias que já possuem conta e árvores no site: Família Maffei, Família Kalbusch e Família Demarchi. O Site permite pesquisas em diversos bancos de dados internacionais. Facilita o cruzamento de dados entre as árvores, oferecendo informações que constam em outras árvores espalhadas pelo mundo. Conta agora também com o recurso atualíssimo da genealogia por DNA.
  5. Consulte um genealogista… se quiser descobrir descobrir suas origens mais remotas, quem sabe até um antepassado real, ducal, condal…

A internet oferece uma infinidade de ferramentas para facilitar a vida de quem deseja fazer um mergulho na história de sua família, por exemplo, você poderá pesquisar através desta lista com 101 sites para pesquisa genealógica.

Uma dificuldade encontrarão quem descende de indígenas. A miscigenação no Brasil foi fabulosa e vemos traços desta etnia no rosto da maioria da população. O indígena, como não tinha escrita e nem propriedade desconhecia o registo notarial, existente na maioria dos povos. A medida que foram sendo absorvidos pelas outras etnias foram tendo seus registros realizados, ficando o passado… no passado. O que é uma perda irreparável de informações anteriores aos registros ficando sujeitas a lembranças e memórias orais.

Em Alfredo Wagner a genealogia já desperta a atenção de algumas pessoas há bastante tempo. Dois grandes conhecedores das famílias são Altair Wagner e seu sobrinho Juliano Norberto Wagner. A memória dos dois para sobrenomes familiares é admirável.

O projeto que iniciamos pelo Instagram e cujas fotos apresento abaixo, está apenas no começo. Existem muitos candidatos para as próximas publicações, entretanto, a pesquisa é demorada devido a falta de familiaridade com os dados genealógicos. Logo teremos um lindo mapa fotográfico, genealógico da Capital Catarinense das Nascentes, onde o maior patrimônio é e será o ser humano.
alfredenses001alfredenses002

Deixe um comentário sobre a notícia!