A morte tem acompanhado o ser humano desde sua criação. Ela é responsável também, de modo indireto, para que as memórias de determinada pessoa ou família sejam apagadas no tempo, tornando um indivíduo registrado apenas no Livro da Vida. Para o indivíduo é o mais importante, mas para aqueles que ficam é uma perda, as vezes irreparável.

As gerações mais novas costumam não dar importância a documentos, fotos, etc de seus avós e só quando a documentação não pode mais ser recuperada é que lamentam o seu desinteresse.

A própria educação, voltada para o imediatismo da busca por uma carreira ou profissão, faz com que a juventude esteja desligada do passado, como se fossem frutos de geração espontânea, quando na realidade provem da soma de centenas, de milhares de genes de seus antepassados.

Que tipos de documentos devem ser preservados?

Todos!

Certidões de nascimento, óbito, casamento, batismo, etc.

Documentos de identidade, passaporte, carteiras de trabalho, de motorista, etc

Livros (exceto os didáticos utilizado aos milhares para unificação do ensino) especialmente os mais antigos e com marcas, anotações, autógrafos.

Fotografias, mesmo aquelas mais estragadas pois com as técnicas atuais é possível resgatar até mesmo as mais danificadas.

Filmes, seja em rolo, fitas de VHS, etc.

Jornais e revistas antigas.

Toda essa documentação deve ser preservada ou destinada a algum órgão que se torne responsável pela manutenção, catalogação e guarda.

Não jogue fora a história de sua família! Preserve!

Deixe um comentário sobre a notícia!