Oficialmente o Município de Alfredo Wagner nasceu em 21 de Dezembro de 1961 e foram responsáveis diretos pela sua criação os Vereadores que na época exerciam seus mandatos e os Deputados Estaduais que aprovaram na Assembléia Legislativa o nome e limites, desmembrando de Bom Retiro.

Um fato curioso: Alfredo Wagner é o único município brasileiro (apontem algum outro, pois desconheço) que não leva a sério a data de sua fundação e não a comemora. Todo ano, os prefeitos adiam ou adiantam a data, para que possa ser prolongado os feriados de fim de ano. Apenas foi comemorado o aniversário de 50 anos com grande pompa, mas fora esta comemoração extraordinária, os alfredenses fazem questão de não realizar comemoração alguma.

A pesquisa realizada pelo site do Jornal Capital das Nascentes – Sou da Serra trouxe um resultado que demonstra a dificuldade dos alfredenses em afirmar quem foi o fundador do município. Quem teria sido o primeiro a definir que nos limites territoriais de Alfredo Wagner faria morada, dando o ponta-pé inicial de nossa História?

A fundação de Alfredo Wagner se deu em 1961. Porém, para que isso fosse possível, muita coisa aconteceu. Nossa pesquisa trouxe o resultado que apresentamos na foto. Vamos então falar de cada uma das opções da pesquisa que foram: Dom Pedro II, Duque de Caxias, Alfredo Henrique Wagner, Brasileiros e Imigrantes e, por último, os Xoklengs.

Os Xoklengs

Uma das características das tribos indígenas em geral, é sua mobilidade. Os Xoklengs viviam errantes pelas terras catarinenses. Sua parada em Alfredo Wagner era apenas para abastecimento e nunca prolongada. Tendo conhecimento profundo da natureza, os índios sabiam que nosso município oferecia condições de vida inclementes com frequentes enchentes, desmoronamentos, etc. Uma prova disso é a falta de sepulturas indígenas na região. Os abrigos provisórios eram sempre feitos em lugares altos e seguros, bem longe da água.

Outra característica importante é a falta do conceito de propriedade do solo e a falta de escrita. Sendo exploradores no amplo sentido da palavra, os Xoklengs usavam uma terra até esgotá-la, seguindo depois em direção a outra. Os recursos naturais, sejam em frutas e animais (esta etnia não comia peixe… tinha medo da água e a evitavm) eram explorados até o seu esgotamento. Não havia, portanto, o porque ter a posse de algo que só seria usada em futuro próximo ou remoto. Sem escrita de qualquer natureza, não tinham como registrar essa posse para que outras tribos não invadissem.

Portanto, apesar de terem sido os primeiros humanos a pisar em solo alfredense, os Xoklengs não foram os fundadores do município.

 

Dom Pedro II

O Império tinha todo interesse em colonizar esta região. Dom Pedro II chegou muito perto de Alfredo Wagner… Visitou Santo Amaro da Imperatriz numa época em que o município de São José abrangia toda esta região. Chegou mesmo a sancionar um decreto fundando a Colônia Militar Santa Thereza nos moldes de outra semelhante fundada no Maranhão. Mas também não foi Dom Pedro II, o fundador do município. Dom Pedro II viu a necessidade de proteger cidadãos brasileiros que já estavam atravessando a região inóspita entre duas grandes montanhas, tentando ligar Serra e Litoral.

Duque de Caxias

Este grande brasileiro, Herói do nosso Exército, teve um importante papel no desenvolvimento dos primórdios da existência de Alfredo Wagner. Quando do fim da Guerra do Paraguai, Duque de Caxias destinou verbas para a Colônia Militar Santa Thereza e para cá dirigiu soldados e suas famílias. Mulheres que acompanhavam os militares durante a guerra também receberam apoio financeiro para se deslocarem para a Colônia. Apesar de todo este apoio ele também não pode ser considerado o fundador de Alfredo Wagner.

Alfredo Henrique Wagner

Já publicamos a biografia deste grande Alfredense, mas a admiração de seus conterrâneos cresce a medida que novas descobertas são realizadas sobre a personalidade e vida de Alfredo Henrique Wagner.

“Alfredo Wagner tinha muito em sua formação da cultura do imigrante alemão, de seus antepassados. Distinguia as pessoas pela capacidade de trabalhar, seriedade, justiça e honra, nada mais. Era obstinado mediante objetivos traçados. Tinha portanto o espírito dos pioneiros”. Uma história que se iniciou muito antes.

Com estas palavras Angelina Wittmann define a personalidade de Alfredo Henrique Wagner em artigo recentemente publicado em seu blog.

7 dos 11 filhos de Alfredo Wagner nasceram na Colônia Militar Santa Thereza. Ali viveu, trabalhou e formou sua família. Quando novo caminho para a cidade de Lages foi aberto através do Rio Águas Frias, ele percebeu a oportunidade de adquirir terras na Lomba Alta e ali montar um entreposto pois seria parada obrigatória para quem subisse ou descesse a Serra.

Entretanto, apesar de sua biografia de dedicação e trabalho, não foi Alfredo Henrique Wagner o fundador do município. Esta informação, errônea, como vemos, está sendo divulgada e até mesmo estampada no site do Museu de Arqueologia da Lomba Alta, no site da Prefeitura Municipal de Alfredo Wagner e foi ao ar em recente entrevista na Televisão Catarinense.

Brasileiros e Imigrantes

O primeiro brasileiro ou imigrante que pisou em nossas terras e disse para si ou para outros: “é aqui que vou viver”, não teve seu nome registrado em nenhum livro ou jornal, mas foi o primeiro que abriu as portas deste município rico e exuberante. Depois dele, centenas, milhares de outros fizeram sua morada neste chão. Muitos aqui foram enterrados, misturando seu corpo com nosso solo, ou deixaram sua descendência e criando este povo maravilhoso e inteligente.

 

 

 

Deixe um comentário sobre a notícia!