O amor que Cristo manifesta hoje através de sua PAIXÃO E MORTE DE CRUZ não é um amor “genérico”, dirigido a uma multidão impessoal e sem rosto. A caridade de Cristo, cuja alma santíssima viu ao Pai e a cada um dos homens desde sua concepção virginal no seio de Maria, se estende a todo ser humano COMO A ALGO ÚNICO, objeto de particular dileção.

Assista à homilia desta Sexta-feira Santa, dia 14 de abril, e reflita conosco sobre a loucura deste divino Amor, que se imolou por mim e por ti como se fossemos os únicos a ser redimidos e resgatados do poder da morte: http://bit.ly/2owyLAP.

Deixe um comentário sobre a notícia!