O Carnaval não terminou com a quarta-feira de cinzas…

Não sou fã de Carnaval. Nunca fui. A ideia de passar algumas horas dançando não me agrada! Quatro dias, então, é impensável para mim.

Mas há quem goste e há aqueles que lucram muitos nestes dias. O comércio vibra com a época.

Quem vibra também, são aqueles que procuram se livrar da moralidade que vigora no resto do ano e que nos 4 dias são esquecidas. O pudor, deixa espaço para a rebeldia e a lassidão moral. Por isso que, para muita gente, o carnaval não termina na quarta-feira de cinzas… nove meses depois uma nova vida nasce para alterar a história individual de alguém.

Os desfiles de carnaval, que tem cada vez mais utilizado a tecnologia para levar até os sambódromos seu ideário, costuma trazer alguns aspectos que deveriam ser estudados. Escolas rivais disputam para levar o enredo mais marcante, seja relacionado à história, a uma doutrina, a eventos, etc.

O carnavalesco é aquele personagem que dá o tom que a escola seguirá em seu desfile, podemos dizer, sem exagerar, que ele é um misto de historiador, de formador de opinião, de exegeta e de profeta.

Não poucos desfiles tem apontado para o que pode acontecer no futuro próximo ou distante. Por isso o título do meu artigo é bivalente pois não se refere apenas as consequências da lascívia e da imoralidade, mas pode também estar representando os próximos passos daquilo que foi previsto por esta ou aquela Escola de Samba.

Falemos especificamente da Gaviões da Fiel. A escola de samba representou a luta entre o bem e o mal e no final, Cristo, derrotado é pisoteado pelo Demônio.

As repercussões foram amplamente divulgadas e não falarei delas. Falarei de algo que não está sendo comentado, mas que é o provável desenrolar da profecia da Gaviões.

No ódio do demônio contra Cristo representado no Sambódromo, há uma profecia, um sinal, uma previsão do que virá num futuro próximo ou remoto, mas que virá com certeza.

Uma encenação que poderá representar o sofrimento que está por vir sobre os católicos. Não me refiro a uma perseguição aos cristãos em geral, mas aos católicos em específico. Se a previsão se referisse aos cristão em geral, seria usada uma cruz ou apenas uma bíblia. Porém, foi usado um ator representando a Cristo, com suas chagas e no momento em que o retiraram da Cruz. A única religião cristã no ocidente que utiliza imagem de Cristo é a Católica, então, o recado foi especificamente para nós católicos: O demônio irá nos perseguir e pretende nos vencer.

Perseguições aos Cristãos ocorreram desde o início do caminhar da Igreja e ocorrem ainda hoje em muitos países africanos e asiáticos. Entretanto, esta perseguição foi anunciada num desfile, assistido nacionalmente por milhões de pessoas, num momento que deveria ser de alegria e diversão.

O que fazer em caso de perseguição pelo fato de ser Católico? Simples: Oferecer a vida a Deus como fizeram os primeiros cristãos e como fazem hoje em dia nossos irmãos na fé em muitos países.

O Demônio nunca poderá vencer a Cristo pois já foi vencido por Ele e não há mais chances de vitória. Ele é um eterno derrotado que tenta, de todas as formas conquistar para si aqueles que se deixam levar por suas mentiras.

× Fale com o Jornal
%d blogueiros gostam disto: